top of page
REFLEXÕES PRÉVIAS… 

  • Você já se perguntou como é que aprendemos a falar e a pensar?

  • Quando é que começamos a aprender nossa língua materna? E a música?

  • Porque expor a criança pequena desde sempre a estímulos sonoros musicais é tão importante?

  • Como acontece a interação entre a música e a criança pequena?

  • Na Music Learning Theory esse processo se chama aculturação!



Através de muitas pesquisas e estudos, Edwin Gordon comprova que para aprender música utilizamos dos mesmos caminhos que utilizamos para aprendermos a nossa língua materna. Assim, entendemos que a música possui uma sintaxe e nos apropriamos dela como uma ferramenta de expressão e compreensão do mundo!


A etapa da ACULTURAÇÃO é a primeira fase da AUDIAÇÃO PREPARATÓRIA. Ela começa com a etapa da ABSORÇÃO, que é caracterizada por uma imersão total no universo sonoro e musical, na qual a criança, como uma esponja ativa, absorve os estímulos sonoros e reage a eles. Primeiramente se move e balbucia como um instinto quase biológico (RESPOSTA ALEATÓRIA). Num segundo momento, responde a música com clara intenção de comunicação e experimentação mais consciente! São os balbucios musicais em ação (RESPOSTA INTENCIONAL)!


Para um real aprendizado musical, é importante estar imersas em um ambiente rico musicalmente e emocionalmente, com várias tonalidades e modos, zelos e ritmos, respeito e timbres... proporcionando os estímulos e apoios necessários para que esse potencial se desenvolva, gerando conexões e garantindo uma compreensão musical significativa.




Esse meio precisa basear-se primeiramente na imersão sonora e na prática musical, desenvolvendo habilidades aurais e orais. Através de muitas brincadeiras, podemos proporcionar um ambiente no qual a audição e a prática sonora são a base para a compreensão da linguagem musical. E a leitura e a escrita são habilidades desenvolvidas após essa compreensão estar bem estabelecida.


Se você está interessada(o) em se aprofundar um pouco mais, aqui vai uma indicação sobre esse momento de aculturação, que se inicia desde a gravidez e continua pelo resto da vida!


A primeira indicação é o vídeo “Learning and Development of Language: The First 5 Years of Life” - Aprendizagem e Desenvolvimento da Linguagem: Os Primeiros 5 Anos de Vida.


Para assistir na íntegra segue o link do Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=u49uLLCUlEk


3 visualizações0 comentário
  • Foto do escritorBadalu Educação Musical
REFLEXÕES PRÉVIAS… 

  • Você conhece a Music Learning Theory (MLT) ?

  • Você sabe por qual motivo ela é tão significativa para o desenvolvimento musical?

  • Por que ela é uma teoria da aprendizagem?

  • Qual é a sua importância para a criança no fazer musical?




A Music Learning Theory (MLT) é a teoria de aprendizagem musical que foi desenvolvida pelo pesquisador, educador e músico Edwin Gordon.


Sendo a única teoria de aprendizagem musical que usa bases psicológicas para explicar como aprendemos música! A MLT foca na compreensão dos processos de aprendizagem musical, e não apenas nas abordagens e pedagogias sobre como ensinar música. Ainda fazendo um paralelo com o aprendizado da nossa língua materna, Gordon afirma que todos nós passamos pelos mesmos processos de aquisição da linguagem musical.


Quando a(o) bebe nasce ela(e) não escreve antes de falar e não fala antes de escutar!! Ela(e) precisa vivenciar diferentes experiências para ter um desenvolvimento saudável. Então, escuta o que está ao seu redor e experimenta... inicia seu balbucio, seguido da fala e desenvolve seu pensamento verbal. E apenas posteriormente aprende a ler e escrever.


O mesmo acontece com o aprendizado musical. As(os) bebês se desenvolvem musical através do balbucio musical, até que conseguem imitar, cantar, recitar e se movimentar com coordenação e consciência, desenvolvendo assim seu pensamento musical. E apenas posteriormente aprende a ler e escrever música.


Isso tudo não acontece de maneira estática, o movimento e a energia estão a todo momento presente no nosso desenvolvimento. Pulando, girando, explorando e descobrindo diversas possibilidades de movimento, crianças fazem descobertas fantásticas sobre nossa musicalidade. Sendo seres holísticos, as crianças e suas diversas linguagens e inteligências são respeitadas na MLT, assim como o tempo e individualidade de cada criança.


Por isso que nós da Badalu acreditamos tanto na MLT como ferramenta para entender e potencializar o desenvolvimento musical e holístico de cada criança!


Se você está interessada(o) em saber mais sobre a MLT, convidamos vocês a assistirem um registro do próprio Edwin Gordon falando um pouco mais sobre MLT! Seguem os links para a parte 1 e parte 2:


Edwin E. Gordon Music Learning Theory Overview Part 1: https://www.youtube.com/watch?v=XRUCZp9uYOM&feature=youtu.be


Edwin E. Gordon Music Learning Theory Overview Part 2: https://www.youtube.com/watch?v=-zX_PjROgu0&feature=youtu.be


2 visualizações0 comentário

Anita Collins afirma através de estudos que, quando nascemos, ouvimos a voz da nossa mãe como se fosse música! Fantástico? Isso é um indicador de que todas e todos nós nascemos com o potencial para aprender música! 


Para o um real aprendizado musical, a Badalu entende que o importante é estar imerso em um ambiente rico musicalmente e emocionalmente, com várias tonalidades e modos, zelo, ritmos, respeito, timbres... proporcionando os estímulos e apoios necessários para que esse potencial se desenvolva, gerando conexões e garantindo uma apreensão musical significativa.


Esse meio precisa se basear primeiramente na imersão sonora e prática da música, desenvolvendo habilidades aurais e orais. Através de muitas brincadeiras, proporcionamos um ambiente no qual a audição e a prática sonora (seja ela o canto, percussão corporal ou exploração de instrumentos) são a base para a compreensão da linguagem musical, sendo a leitura e a escrita habilidades desenvolvidas após essa compreensão estar bem estabelecida.


Através de muitas pesquisas e estudos, Edwin Gordon comprova que para aprender música utilizamos dos mesmos caminhos que utilizamos para aprendermos a nossa língua materna. Assim, considerando que a música possui sua sintaxe, seu discurso e se apropriando dela como uma ferramenta de expressão e compreensão, podemos considerá-la uma forma de linguagem!


Nesse paralelo entre o aprendizado da nossa língua materna e o aprendizado da linguagem musical entendemos que quando conversamos com uma criança na sua língua materna, não evitamos falar palavras "difíceis" ou que ainda não fazem parte do vocabulário da criança... pelo contrário, queremos que elas aprendam novos vocabulários e por isso falamos com elas - da mesma forma deve se proceder com o ensino da linguagem musical.


E para o aprendizado da linguagem musical, Gordon afirma que temos dois processos: o da inferência ("interno") e discriminação ("externo").


Imagine a seguinte situação: uma bola azul e uma bola amarela. Aprendemos que uma bola é azul, porque alguém nos diz que a outra é amarela - sabemos também que ambas são bolas. É a partir da exposição aos diferentes que podemos passar para o processo de inferência e comparar de forma autônoma as diferenças e semelhanças!


Assim, quanto mais rico for o ambiente musical no qual a criança está exposta, mais facilmente ela irá entender as estruturas e diversidades musicais!


Mas pera ai… se existe esse paralelo, por que a Badalu preza por um ambiente não verbal e músicas sem letra? Segundo Gordon, a letra pode distrair as crianças dos elementos musicais ou criar relações equivocadas entre língua e música, isso porque elas estão passando pelo processo de aprendizado da língua materna. Isso não significa que não cantamos músicas com palavras, mas utilizamos elas com consciência do que está sendo ensinado e aprendido.


O mesmo se emprega para o ambiente não verbal. Utilizar da música e gestos para conduzir a aula e se comunicar com as crianças, cria um ambiente estimulante para o desenvolvimento das habilidades de comunicação não verbal.




0 visualização0 comentário
bottom of page